Chegamos a um assunto superimportante, afinal, sem música, não há dança, né? Eu sempre fui apaixonada por musica também, tentei tocar violão e também teclado, também passei uma fase sendo cantora, onde participei de alguns covers mas fui dar certo finalmente na musica eletrônica, onde me tornei DJ aos 17 anos, e produtora aos 23. Remixar musicas e cria-las se tornou minha paixão, e hoje em dia, no tribal fusion, ás vezes utilizo músicas que eu mesma remixo e faço mash-ups. Trabalho profissionalmente como Dj na área do Psy Trance, minhas vertentes são: psychill, progressive trance e fullon groove, também dentro do Psy, utilizo algumas vertentes pra dançar, hoje vou utilizar meu conhecimento pra falar um pouco disso com vocês também. Mas vamos por partes.

                            Vamos começar pelo ATS®, nele, geralmente se utiliza músicas folclóricas do Oriente Médio, do Norte Africano e outros. Não há regras rígidas sobre que música é apropriado para ATS®, mas geralmente utilizamos os ritmos árabes, como por exemplo, baladi, said, dentre outros (vamos falar disso mais a frente). Não existe regras pra utilizar musicas no ATS, porém, quando o estilo é mais tradicional, são essas musicas as utilizadas, mas também é permitido utilizar musicas indianas e até mesmo eletrônicas, nos casos mais modernos. Os melhores artistas para dançar ATS são: Helm, Phil Tornton, Solace, Hossam Ramzy, dentre outros.

O tribal fusion, é bem livre, mas tem como principal caraterística utilizar musicas mais modernas e eletrônicas, ainda hoje, existe um estilo étnico de bandas com influencias eletrônicas e também influencias de ritmos e instrumentação folclóricas e árabes, como é o exemplo do Beats Antique, Solace e Maduro. Inclusive, esses grupos utilizam como por exemplo, a Zoe Jakes, como ícone, e ela sempre acompanha a banda Beats Antique nos shows. Tal como a banda Solace, sempre utiliza algumas imagens da Rachel em suas capas de disco.

No ramo da musica eletrônica, temos estilos perfeitos pra utilizar no tribal, como é o exemplo do trap, esse estilo é um dos meus favoritos e também muito utilizado pelas bailarinas de tribal. Você pode encontrar estilos variados dentro do trap, pesquisando por exemplo como: indian trap, arabic trap, flamenco trap, etc. Nesse estilo também tem o estilo Tribal Trap, que aborda vários sons e instrumentos de diferentes culturas. Você pode encontrar projetos bem legais, como por exemplo: Samaya, David Starfire, V.F.M Style, e relacionados.

Kalya Scintilla / Merkaba

Dentro do psy, temos o meu estilo favorito pra dançar, que se chama psy chill, é uma espécie de chill out (musica lenta) psicodélica, ele possui em torno de 100 bpms (batidas por minuto) e é uma musica extremamente detalhada, cheao de camadas de sons psicodélicos e basslines bem marcantes. Meus projetos favoritos são: Kalya Scintilla, Desert Dwellers e Kaminanda. Ainda no psy, temos estilos como: slow progressive trance, que possui em torno de 120 bpms e segue com batidas repetitivas e progressivas. Temos o estilo downtempo, que é bem lento e com poucas batidas, ideal para treinar o slow motion. Temos o estilo chill out, que é ideal para relaxar, fazer um yoga e também para dançar de forma bem suave. Todos esses estilos você pode encontrar de formas variadas, com influencias de diferentes culturas também. Eu indico: Suduaya, Johnny Blue, Carbon Based Lifeforms, Unsual Cosmic Project, dentre outros.

Perfect Soulmates

Hoje em dia, para minha alegria, já vi as vertentes que eu trabalho sendo utilizadas tanto no ATS quanto no tribal fusion, o progressive trance, foi utilizado por exemplo por Alisa Gurova no mesmo vídeo em que ela utilizou mini saia, inclusive ela dançou uma musica produzida por um brasileiro conhecido. O progressive trance vai de 136 bpms até 143 bpms, é uma musica bem rápida. Rebeca Piñero também já dançou essa vertente, haja agilidade com os snujs, em? Minha indicação para vocês conhecerem esse estilo, é o meu próprio trabalho, pois nele eu utilizo muita influencia do tribal e de todas essas culturas, é só pesquisar no soundcloud como: Perfect Soulmates e Luma Psy trance. Você também pode utilizar músicas celtas (exemplo: Banda Faun), e também músicas dos povos Balkans, também fica bem legal pro ATS, por exemplo. Tudo depende do tema que você deseja seguir e de sua personalidade.                            Bom, tem bastante material aqui pra você pesquisar né? Lembrando que o estilo de musica é livre, mas que você deve seguir o padrão da sua escolha geral, fazendo uma união de música, passos e figurino.

Contagem rítmica

                    Quando estudei produção, também aprendi a detalhar mais as marcações na música, meu ouvido aflorou diante de detalhes, hoje em dia, eu utilizo o programa e as técnicas de produção musical pra extrair cada detalhe na musica que existe dentro de cada compasso, e com isso montar minhas coreografias, mas você pode fazer isso apenas escutando com fones, durante varias vezes e fazendo anotações em seu caderno.                            A minha dica pra essa fase, é você se lembrar que os compassos sempre serão múltiplos de 4. No momento de você conhecer a música, é ideal que você separe anotando de 4 em 4, pois geralmente os produtores fazem detalhes mesmo que pequenos de 4 em 4. Novas mudanças, mais significativas, acontecem de 8 em 8. E as mudanças grandes acontecem de 16 em 16 e 32 em 32.                            Você pode, por exemplo, fazer 16 tempos de passos no lugar, e 16 tempos de passos deslocados, esse é apenas um exemplo de como você pode utilizar os compassos para ter diversidade de movimentos.                            Na musica eletrônica, principalmente no progressive trance, por conter compassos múltiplos de 3, os famosos tri-plets, e isso pode te deixar um pouco confusa se seu objetivo é tocar snujs, mas é ideal que você reconheça essa contagem no momento de estudar a música.                            Minha dica pra você exercitar tudo isso, é você pegar musicas variadas e fazer a contagem de 4 em 4 e observar as mudanças. Ou você pode até mesmo bater palmas junto as batidas. Uma bailarina deve ter a contagem rítmica afiada e constante trabalhando em sua mente.                            No ATS, por exemplo, cada passo possui um tempo especifico, isso também é uma regra, pra que a sincronia exista entre as bailarinas, esses passos sempre terão de 2 a16 tempos. Cada detalhe do passo, principalmente as pisadas são marcadas na contagem. Portanto, outro exercício interessante, é você trabalhar “pisadas” diferentes fazendo a contagem mental do ritmo.                            Quando você fica bem treinada com essas mudanças, você consegue até mesmo improvisar em cima de músicas que você não conhece.

Nos videos abaixo, um pouco de como você pode trabalhar com isso:

WORKSHOP COMPLETO E GRATUITO

CLIQUE NO BOTÃO E TORNE-SE MINHA ALUNA ONLINE + DE 100 AULAS DISPONÍVEIS

[su_button url=”http://www.shaktistudioonline.com” target=”blank” style=”3d” background=”#ae2def” size=”13″ center=”yes” desc=”STUDIO ONLINE”]SHAKTI[/su_button]

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *